A importância do tratamento individualizado da esquizofrenia

Autores

  • Alexandre Willi Schwartzhaupt Médico pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS. Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Psiquiatria e Ciências do Comportamento, UFRGS. Atua em Neurociência e Neuropsiquiatria. Participa do Grupo de Pesquisa em Neuroprogressão junto ao PPG/Psiq/UFRGS/HCPA. Membro Efetivo da Associação de Psiquiatria do Rio Grande do Sul, da Associação Brasileira de Psiquiatria e do SIMERS
  • Clara de Oliveira Lapa Médica psiquiatra titulada pela ABP, mestre em Psiquiatria e Ciências do Comportamento pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Professora da Faculdade de Medicina Universidade Luterana do Brasil
  • Clarissa Severino Gama Médica psiquiatra titulada pela ABP. Livre-Docente pela UNIFESP, Pesquisadora 1A do CNPQ e Professora Associada do Departamento de Psiquiatria e Medicina Legal da UFRGS. É uma das principais especialistas no estudo dos fundamentos biológicos do declínio da cognição, saúde física e funcionamento que ocorre entre pacientes com Transtorno Bipolar e Esquizofrenia
  • Ramiro de Freitas Xavier Reckziegel Médico pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Especialização em Psicoterapia de Orientação Analítica pelo Centro de Estudos Luís Guedes (CELG - 2018). Doutor em Psiquiatria e Ciências do Comportamento pela UFRGS (2022). Associado efetivo da ABP

DOI:

https://doi.org/10.25118/issn.2965-1832.2023.499

Palavras-chave:

esquizofrenia, saúde mental

Resumo

A esquizofrenia é uma doença mental que atinge aproximadamente 23 milhões de pessoas em todo o mundo, de acordo com a Organização Mundial da Saúde - OMS. Tal doença se manifesta através de sintomas positivos, como alucinações e delírios, e sintomas negativos, como embotamento afetivo e perda de interesse pelo ambiente.

Por ser um transtorno mental grave, muitas vezes a esquizofrenia é associada a muitos prejuízos na vida do indivíduo, mas felizmente, com a evolução das formas de tratamento, é possível que o paciente tenha uma melhor qualidade de vida.

No ABP TV de hoje, vamos debater a importância do tratamento individualizado da Esquizofrenia.

Biografia do Autor

Alexandre Willi Schwartzhaupt, Médico pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS. Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Psiquiatria e Ciências do Comportamento, UFRGS. Atua em Neurociência e Neuropsiquiatria. Participa do Grupo de Pesquisa em Neuroprogressão junto ao PPG/Psiq/UFRGS/HCPA. Membro Efetivo da Associação de Psiquiatria do Rio Grande do Sul, da Associação Brasileira de Psiquiatria e do SIMERS

Clara de Oliveira Lapa, Médica psiquiatra titulada pela ABP, mestre em Psiquiatria e Ciências do Comportamento pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Professora da Faculdade de Medicina Universidade Luterana do Brasil

Clarissa Severino Gama, Médica psiquiatra titulada pela ABP. Livre-Docente pela UNIFESP, Pesquisadora 1A do CNPQ e Professora Associada do Departamento de Psiquiatria e Medicina Legal da UFRGS. É uma das principais especialistas no estudo dos fundamentos biológicos do declínio da cognição, saúde física e funcionamento que ocorre entre pacientes com Transtorno Bipolar e Esquizofrenia

Ramiro de Freitas Xavier Reckziegel, Médico pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Especialização em Psicoterapia de Orientação Analítica pelo Centro de Estudos Luís Guedes (CELG - 2018). Doutor em Psiquiatria e Ciências do Comportamento pela UFRGS (2022). Associado efetivo da ABP

Downloads

Publicado

17-01-2023

Como Citar

1.
Schwartzhaupt AW, Lapa C de O, Gama CS, Reckziegel R de FX. A importância do tratamento individualizado da esquizofrenia. PABP [Internet]. 17º de janeiro de 2023 [citado 13º de julho de 2024];10. Disponível em: https://revistardp.org.br/abp/article/view/499

Edição

Seção

ABP TV: programas completos

Categorias

Plaudit

Artigos Semelhantes

1 2 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)