Evidências iniciais de validade da Escala de Sobrecarga de Luto Profissional para o contexto brasileiro

Autores

  • Vitória Lamounier de Farias Psicóloga, Centro Universitário de Brasília, UniCEUB, Brasília, DF, Brasil https://orcid.org/0000-0003-4168-3103
  • Mariana Martins Pedersoli Mestre e Doutoranda em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações, Universidade de Brasília, UnB, Brasília, DF, Brasil https://orcid.org/0000-0003-3892-624X
  • Manuela Ramos Caldas Lins Professora Titular, Centro Universitário de Brasília, UniCEUB, Brasília, DF, Brasil https://orcid.org/0000-0002-0827-7245
  • Carlos Manoel Lopes Rodrigues Professor Adjunto, Centro Universitário de Brasília, UniCEUB, Brasília, DF, Brasil https://orcid.org/0000-0002-5188-7110

DOI:

https://doi.org/10.25118/2763-9037.2023.v13.454

Palavras-chave:

luto, avaliação de recursos humanos em saúde, saúde do trabalhador

Resumo

Introdução: os profissionais de saúde diuturnamente são expostos a morte de pacientes nos mais diversos serviços, porém o luto profissional está longe de ser um tema bem desenvolvido em nosso meio, muito menos em termos de instrumentos para mensuração deste fenômeno. Objetivo: esta pesquisa teve como objetivo identificar as evidências de validade iniciais da versão brasileira da Escala de Sobrecarga de Luto Profissional. Método: A escala originária de Portugal foi previamente adaptada e, neste estudo, aplicada, em conjunto com versão brasileira da Depression, Anxiety Stress Scale, a 252 profissionais de saúde atuantes em Unidades de Terapia Intensiva. Resultados: Os resultados apontam para adequação da escala em termos de estrutura fatorial e consistência interna. A Análise Fatorial Confirmatória, apresentou índices de ajuste adequados para o modelo original de 4 fatores (χ2[251] = 181,955, p = 0,000; CFI = 0,90; TLI = 0,91; RMSEA = 0,04 [90% CI 0,00 – 0,02] SRMR = 0,09). Foram identificadas correlações positivas entre fatores de sobrecarga de luto profissional e sintomas de depressão e estresse. Conclusão: Estes resultados indicam para a possibilidade de uso da escala no contexto brasileiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Vitória Lamounier de Farias, Psicóloga, Centro Universitário de Brasília, UniCEUB, Brasília, DF, Brasil

Mariana Martins Pedersoli, Mestre e Doutoranda em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações, Universidade de Brasília, UnB, Brasília, DF, Brasil

Manuela Ramos Caldas Lins, Professora Titular, Centro Universitário de Brasília, UniCEUB, Brasília, DF, Brasil

Carlos Manoel Lopes Rodrigues, Professor Adjunto, Centro Universitário de Brasília, UniCEUB, Brasília, DF, Brasil

Referências

Gama GM, Barbosa F, Vieira M. Escala de sobrecarga de luto profissional (SLP): construção e validação. Cad Saude. 2011;4(2):57-64. https://doi.org/10.34632/cadernosdesaude.2011.2822

Meller N, Parker D, Hatcher D, Sheehan A. Grief experiences of nurses after the death of an adult patient in an acute hospital setting: an integrative review of literature. Collegian. 2019;26(2):302-10. https://doi.org/10.1016/j.colegn.2018.07.011

Rabow MW, Huang CHS, White-Hammond GE, Tucker RO. Witnesses and victims both: healthcare workers and grief in the time of covid-19. J Pain Symptom Manage. 2021;62(3):647-56. https://doi.org/10.1016/j.jpainsymman.2021.01.139 PMID:33556494 - PMCID:PMC7864782

Price MJ, Wachsmuth LP, Ferguson KA, Robbins-Welty GA, Riordan PA, Pieper CF, Galanos A. Grief in medical students: the short and long-term impacts on health and well-being. Am J Hosp Palliat Care. 2022;39(2):196-204. https://doi.org/10.1177/10499091211011722 - PMID:33910376

Esplen MJ, Wong J, Vachon MLS, Leung Y. A continuing educational program supporting health professionals to manage grief and loss. Curr Oncol. 2022;29(3):1461-74. https://doi.org/10.3390/curroncol29030123 - PMID:35323323 - PMCID:PMC8946955

International Test Commission (GB). ITC guidelines for translating and adapting tests. 2nd ed. Hemel Hempstead (GB): International Test Commission; 2017. https://www.intestcom.org/files/guideline_test_adaptation_2ed.pdf

Faria VL, Rodrigues CML. Adaptação da escala de sobrecarga de luto profissional para o contexto brasileiro. 10º Congresso Brasileiro de Avaliação Psicológica. [local desconhecido]: Instituto Brasileiro de Avaliação Psicológica; 2021. https://www.congresso2021.ibapnet.org.br/arquivo/downloadpublic?q=YToyOntzOjY6InBhcmFtcyI7czozNToiYToxOntzOjEwOiJJRF9BUlFVSVZPIjtzOjQ6IjE3MDciO30iO3M6MToiaCI7czozMjoiYTQ4MGRjM2M4NmMwYTQzYTIzMzllNWUyOWY0NjZiN2UiO30%3D

Vignola RCB, Tucci AM. Adaptation and validation of the depression, anxiety and stress scale (DASS) to Brazilian Portuguese. J Affect Disord. 2014;155:104-9. https://doi.org/10.1016/j.jad.2013.10.031 - PMID:24238871

Downloads

Publicado

2023-06-10

Como Citar

1.
Farias VL de, Pedersoli MM, Lins MRC, Rodrigues CML. Evidências iniciais de validade da Escala de Sobrecarga de Luto Profissional para o contexto brasileiro. Debates em Psiquiatria [Internet]. 10º de junho de 2023 [citado 24º de junho de 2024];13:1-11. Disponível em: https://revistardp.org.br/revista/article/view/454

Edição

Seção

Comunicação Breve

Plaudit