Acadêmicos de medicina e o impacto do serviço de apoio psicológico

Autores

  • Tatiane Muniz Barbosa Professora, Centro Universitário para o Desenvolvimento do Alto Vale do Itajaí, UNIDAVI, Rio do Sul, SC, Brasil https://orcid.org/0000-0002-3575-1555
  • Brenda Cristina Albino Graduanda, Medicina, Centro Universitário para o Desenvolvimento do Alto Vale do Itajaí, UNIDAVI, Rio do Sul, SC, Brasil
  • Luana Zytkoski Zanon Graduanda, Medicina, Centro Universitário para o Desenvolvimento do Alto Vale do Itajaí, UNIDAVI, Rio do Sul, SC, Brasil https://orcid.org/0009-0005-0234-3458
  • Tassiane Thaisi Thiesen Graduanda, Medicina, Centro Universitário para o Desenvolvimento do Alto Vale do Itajaí, UNIDAVI, Rio do Sul, SC, Brasil https://orcid.org/0009-0001-2766-1592

DOI:

https://doi.org/10.25118/2763-9037.2024.v14.1149

Palavras-chave:

estudantes de medicina, sistemas de apoio psicossocial, saúde mental

Resumo

Introdução: A saúde compreendida por meio de um conceito ampliado contempla diferentes dimensões, dentre essas a saúde mental. Como a rotina dos estudantes de Medicina tende a ser marcada por estresse, ansiedade e outros sofrimentos emocionais, as escolas médicas oferecem serviço de apoio psicológico para assistir a saúde mental. Objetivo: Avaliar as percepções dos acadêmicos de medicina a respeito do serviço de apoio psicológico em uma Instituição de Ensino Superior do Sul do Brasil. Método: A pesquisa, quanti e qualitativa, deu-se pela aprovação do CEP, com aplicação de questionário para acadêmicos da 1ª a 8ª fase de um curso de medicina. Os dados foram organizados e tratados por meio de análise de conteúdo.  Resultados: A maioria dos estudantes é do sexo feminino, jovens e solteiros. Entendem a saúde mental como um bom estado psicológico, sendo que boas relações interpessoais têm impactos positivos, enquanto que a sobrecarga nos estudos impacta negativamente. Dentre os que fizeram o uso do apoio psicológico, os principais motivos são dificuldades na vida acadêmica e relações pessoais. Não possuíam dificuldades de obter informações a respeito do serviço e se sentiram compreendidos. Porém, destacaram como obstáculos a fila de espera, a dificuldade na manutenção do atendimento e a falta de vínculo. Conclusão: A avaliação dos acadêmicos acerca do serviço de apoio psicológico foi positiva, mas levantam demandas para simplificação das etapas de acesso, o atendimento para além dos aspectos da vida acadêmica e o desenvolvimento de feedbacks que aumentem a satisfação dos resultados obtidos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Tatiane Muniz Barbosa, Professora, Centro Universitário para o Desenvolvimento do Alto Vale do Itajaí, UNIDAVI, Rio do Sul, SC, Brasil

Brenda Cristina Albino, Graduanda, Medicina, Centro Universitário para o Desenvolvimento do Alto Vale do Itajaí, UNIDAVI, Rio do Sul, SC, Brasil

Luana Zytkoski Zanon, Graduanda, Medicina, Centro Universitário para o Desenvolvimento do Alto Vale do Itajaí, UNIDAVI, Rio do Sul, SC, Brasil

Tassiane Thaisi Thiesen, Graduanda, Medicina, Centro Universitário para o Desenvolvimento do Alto Vale do Itajaí, UNIDAVI, Rio do Sul, SC, Brasil

Referências

Krein CE. O conceito ampliado de saúde e sua relação com a saúde mental. In: A transversalidade da ciência, tecnologia e inovação para o planeta. 28º Seminário de Iniciação Científica; 2021. Ijuí: Salão do Conhecimento; 2021. https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/salaoconhecimento/article/view/21007/19718

Cezar PK, Rodrigues PM, Arpini DM. A psicologia na estratégia de saúde da família: vivências da residência multiprofissional. Psicol Cienc Prof. 2015;35(1):211-24. https://doi.org/10.1590/1982-3703000012014 DOI: https://doi.org/10.1590/1982-3703000012014

Lourenção LG, Moscardini AC, Soler ZA. Saúde e qualidade de vida de médicos residentes. Rev Assoc Med Bras (1992). 2010;56(1):81-91. https://doi.org/10.1590/s0104-42302010000100021 PMID:20339792 DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-42302010000100021

Brasil, Ministério da Educação. Resolução CNE/CES nº 3, de 20 de junho de 2014. Institui diretrizes curriculares nacionais do curso de graduação em medicina e dá outras providências. https://www.gov.br/saude/pt-br/acesso-a-informacao/acoes-e-programas/pnsp/legislacao/resolucoes/rces003_14.pdf/view

Aquino TAA. Atitudes e intenções de cometer o suicídio: seus correlatos existenciais e normativos [tese]. João Pessoa: Universidade Federal da Paraíba; 2009.

Paro HBMS, Perotta B, Enns SC, Gannam S, Giaxa RRB, Arantes-Costa FM, Mayer FB, Martins MA, Tempski PZ. Qualidade de vida do estudante de medicina: o ambiente educacional importa? Rev Med. 2019;98(2):140-7. https://doi.org/10.11606/issn.1679-9836.v98i2p140-147 DOI: https://doi.org/10.11606/issn.1679-9836.v98i2p140-147

Amorim BB, Moraes L, Sá ICG, Silva BBG, Camara Filho JWS. Saúde mental do estudante de medicina: psicopatologia, estresse, sono e qualidade de vida. Rev Psicol Divers Saúde. 2018;7(2):245-54. https://doi.org/10.17267/2317-3394rpds.v7i2.1911 DOI: https://doi.org/10.17267/2317-3394rpds.v7i2.1911

Morais MG, Silva IMAO, Versiani ER, Silva CCG, Moura AS. Serviços de apoio à saúde mental do estudante de medicina: uma revisão sistemática. Rev Bras Educ Med. 2021;45(2):e071. https://doi.org/10.1590/1981-5271v45.2-20200428.ing DOI: https://doi.org/10.1590/1981-5271v45.2-20200428

Noto JRS, Avancine MATO, Martins MCFN, Zimmermann VB. Atenção à saúde mental do estudante de medicina. Rev Bras Educ Med. 2001;25(1):71-5. https://doi.org/10.1590/1981-5271v25.1-010 DOI: https://doi.org/10.1590/1981-5271v25.1-010

Roncaglia LP, Martins AF, Batista CB. Serviços de apoio aos estudantes de medicina: conhecendo alguns núcleos em universidades públicas brasileiras. Pretextos Rev Graduação Psicol PUC Minas. 2020;5(9):664-82. https://periodicos.pucminas.br/index.php/pretextos/article/view/22043

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo 2010. Rio de Janeiro: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística; c2022. https://censo2010.ibge.gov.br/

Brasil, Ministério da Saúde, Conselho Nacional de Saúde. Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisa envolvendo seres humanos. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cns/2013/res0466_12_12_2012.html

Bardin L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70; 2011.

Veras RM, Fernandez CC, Feitosa CCM, Fernandes S. Perfil socioeconômico e expectativa de carreira dos estudantes de medicina da Universidade Federal da Bahia. Rev Bras Educ Med. 2020;44(2):e056. https://doi.org/10.1590/1981-5271v44.2-20190208 DOI: https://doi.org/10.1590/1981-5271v44.2-20190208

Scheffer M, coordenador. Demografia médica no Brasil 2023. São Paulo: FMUSP; 2023. https://amb.org.br/wp-content/uploads/2023/02/DemografiaMedica2023_8fev-1.pdf

Ferreira RA, Peret Filho LA, Goulart EM, Valadão MM. O estudante de medicina da Universidade Federal de Minas Gerais: perfil e tendências. Rev Assoc Med Bras (1992). 2000;46(3):224-31. https://doi.org/10.1590/s0104-42302000000300007 PMID:11070513 DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-42302000000300007

Minella LS. Medicina e feminização em universidades brasileiras: o gênero nas interseções. Rev Estud Fem. 2017; 25(3):1111-28. https://doi.org/10.1590/1806-9584.2017v25n3p1111 DOI: https://doi.org/10.1590/1806-9584.2017v25n3p1111

Silva MW, Franco ECD, Gadelha AKOA, Costa CC, Sousa CF. Adolescência e saúde: significados atribuídos por adolescentes. Res Soc Dev. 2021;10(2):e27510212482. https://doi.org/10.33448/rsd-v10i2.12482 DOI: https://doi.org/10.33448/rsd-v10i2.12482

Lima MCP, Domingues MS, Cerqueira ATAR. Prevalência e fatores de risco para transtornos mentais comuns entre estudantes de medicina. Rev Saude Publica. 2006;40(6):1035-41. https://doi.org/10.1590/s0034-89102006000700011 PMID:17173160

Almeida Filho N, Rouquayrol MZ. Introdução à epidemiologia. 3. ed. rev. Rio de Janeiro: MEDSI; 2002.

Lacerda IP, Yunes MAM, Valentini F. Permanência no ensino superior e a rede de apoio de estudantes residentes em moradia estudantil. Rev Inter Educ Sup. 2022;8:e022004. https://doi.org/10.20396/riesup.v8i00.8663399 DOI: https://doi.org/10.20396/riesup.v8i00.8663399

Cortez EA, Braga ALS, Oliveira AGS, Ribas BF, Mattos MMGR, Marinho TG, Cavalcanti TVC, Dutra VFD. Promoção à saúde mental dos estudantes universitários. Rev Pró-UniverSUS. 2017;8(1):48-54. https://editora.univassouras.edu.br/index.php/RPU/article/view/896/703

Araújo MD, Siqueira MLF, Martins AR, Carvalho KPD, Gomes AMS, Farias HPS. Teoria do autocuidado de Dorothea Orem. Cad Unisuam Pesqui Ext. 2014;4(2):11-2. https://apl.unisuam.edu.br/revistas/index.php/cadernosunisuam/article/view/937

Reyes Júnior E, Reis ALN, Costa VFC, Santos YA. Relações interpessoais e sua influência na satisfação dos acadêmicos. Rev Gest Secretariado. 2018;9(3):206-28. https://doi.org/10.7769/gesec.v9i3.807 DOI: https://doi.org/10.7769/gesec.v9i3.807

Cardoso TA, Chagas LDM. Saúde do sono: a importância do sono no dia a dia. Cad Graduação Cienc Exatas Tecnol. 2019;5(2):83-90. https://periodicos.set.edu.br/cadernoexatas/article/view/6685

Esperidião E, Farinhas MG, Saidel MGB. Práticas de autocuidado em saúde mental em contexto de pandemia. In: Esperidião E, Saidel MGB, editores. Enfermagem em saúde mental e Covid-19. 2. ed. rev. Brasília: Editora ABEn; 2020. p. 65-71. (Série Enfermagem e Pandemias; 4). https://doi.org/10.51234/aben.20.e04.c09 DOI: https://doi.org/10.51234/aben.20.e04.c09

Ramos-Toescher AM, Tomaschewisk-Barlem JG, Barlem ELD, Castanheira JS, Toescher RL. Saúde mental de profissionais de enfermagem durante a pandemia de Covid-19: recursos de apoio. Esc Anna Nery. 2020;24 Esp:e20200276. https://doi.org/10.1590/2177-9465-ean-2020-0276 DOI: https://doi.org/10.1590/2177-9465-ean-2020-0276

Oliveira JF, Santos AMD, Primo LS, Silva MRSD, Domingues ES, Moreira FP, Wiener C, Oses JP. Job satisfaction and work overload among mental health nurses in the south of Brazil. Cien Saude Colet. 2019;24(7):2593-9. https://doi.org/10.1590/1413-81232018247.20252017 PMID:31340276 DOI: https://doi.org/10.1590/1413-81232018247.20252017

Lima MC, Domingues MS, Cerqueira AT. Prevalência e fatores de risco para transtornos mentais comuns entre estudantes de medicina. Rev Saude Publica. 2006;40(6):1035-41. https://doi.org/10.1590/s0034-89102006000700011 PMID:17173160 DOI: https://doi.org/10.1590/S0034-89102006000700011

Anacleto-Estrela YC, Rezende ACC, Ferreira-Guedes A, Pereira CO, Sousa MNA. Estresse e correlatos com características de saúde e sociodemográficas de estudantes de medicina. CES Med. 2018;32(3):215-25. https://doi.org/10.21615/cesmedicina.32.3.3 DOI: https://doi.org/10.21615/cesmedicina.32.3.3

Sobral MVAC, Silva RVM, França EFG. Desafios na saúde mental de estudantes universitários nos últimos anos da graduação: uma revisão integrativa. In: Roberti Junior JP, editor. Caminhos da saúde mental: estratégias para o bem-estar psicológico. Ponta Grossa: Atena; 2023. p. 63-75. https://doi.org/10.22533/at.ed.1942311128 DOI: https://doi.org/10.22533/at.ed.1942311128

Leme VBR, Fernandes LM, Jovarini NV, Falcão AO, Moraes GA. Percepções de jovens sobre a transição para a vida adulta e as relações familiares. Gerais Rev Interinst Psicol. 2016;9(2):182-94. http://pepsic.bvsalud.org/pdf/gerais/v9n2/v9n2a03.pdf

Rollemberg GSM, Aragão AJS, Silva AMF. Avaliação da presença de sintomas de ansiedade e depressão em estudantes de medicina em Sergipe. Debates Psiquiatr. 2018;8(3):6-13. https://doi.org/10.25118/2763-9037.2018.v8.312 DOI: https://doi.org/10.25118/2763-9037.2018.v8.312

Machado L, Nunes R, Cantilino A. Saúde mental do estudante de medicina: realidade preocupante décadas após o trabalho pioneiro do Prof. Galdino Loreto. Debates Psiquiatr. 2018;8(1):42-50. https://doi.org/10.25118/2236-918X-8-1-5 DOI: https://doi.org/10.25118/2236-918X-8-1-5

Grether EO, Becker MC, Menezes HM, Nunes CRO. Prevalência de transtornos mentais comuns entre estudantes de medicina da Universidade Regional de Blumenau (SC). Rev Bras Educ Med. 2019;43(1 Supl 1):276-85. https://doi.org/10.1590/1981-5271v43suplemento1-20180260 DOI: https://doi.org/10.1590/1981-5271v43suplemento1-20180260

Benevides-Pereira AMT, Gonçalves MB. Transtornos emocionais e a formação em medicina: um estudo longitudinal. Rev Bras Educ Med. 2009;33(1):10-23. https://doi.org/10.1590/S0100-55022009000100003 DOI: https://doi.org/10.1590/S0100-55022009000100003

Aguiar SM, Vieira APGF, Vieira KMF, Aguiar SM, Nóbrega JO. Prevalência de sintomas de estresse nos estudantes de medicina. J Bras Psiquiatr. 2009;58(1):34-8. https://doi.org/10.1590/S0047-20852009000100005 DOI: https://doi.org/10.1590/S0047-20852009000100005

Cazolari PG, Cavalcante MS, Demarzo MMP, Cohrs FM, Sanudo A, Schveitzer MC. Níveis de Burnout e bem-estar de estudantes de medicina: um estudo transversal. Rev Bras Educ Med. 2020;44(4):e125. https://doi.org/10.1590/1981-5271v44.4-20190138 DOI: https://doi.org/10.1590/1981-5271v44.4-20190138

Gaino LV, Souza J, Cirineu CT, Tulimosky TD. O conceito de saúde mental para profissionais de saúde: um estudo transversal e qualitativo. SMAD, Rev Eletrônica Saúde Mental Álcool Drog. 2018;14(2):108-16. http://pepsic.bvsalud.org/pdf/smad/v14n2/07.pdf

Ayres JR, Castellanos MEP, Baptista TWF. Entrevista com José Ricardo Ayres. Saude Soc. 2018;27(1):51-60. https://doi.org/10.1590/s0104-12902018000002 DOI: https://doi.org/10.1590/s0104-12902018000002

Cunha MAB, Neves AAF, Moreira ME, Hehn FJ, Lopes TP, Ribeiro CCF, Watanabe APF. Transtornos psiquiátricos menores e procura por cuidados em estudantes de medicina. Rev Bras Educ Med. 2009;33(3):321-8. https://doi.org/10.1590/S0100-55022009000300002 DOI: https://doi.org/10.1590/S0100-55022009000300002

Conselho Federal de Psicologia. Referências técnicas para atuação de psicólogas(os) na atenção básica à saúde. 2. ed. Brasília: CFP; 2019. https://site.cfp.org.br/wp-content/uploads/2019/11/CFP_atencaoBasica-2.pdf

Duarte PF. Da triagem ao acompanhamento: atores que interferem na adesão ao encaminhamento para o ambulatório de psicologia em serviço de oncologia [trabalho de conclusão de curso]. Brasília: Universidade de Brasília; 2021. https://bdm.unb.br/handle/10483/27760

Souza BS, Pio DAM, Oliveira GTR. Perspectivas de usuários em sofrimento psíquico sobre um serviço de pronto atendimento. Psicol Cienc Prof. 2021;41:e221805. https://doi.org/10.1590/1982-3703003221805 DOI: https://doi.org/10.1590/1982-3703003221805

Souza AS, Tavares KM, Pinto PSP. Depressão em estudantes de medicina: uma revisão sistemática de literatura. In: 16º Seminário Estudantil de Produção Acadêmica; 2017. Betim: UNIFACS; 2017. p. 218-34. https://revistas.unifacs.br/index.php/sepa/article/view/4815

Mayer FB. A prevalência de sintomas de depressão e ansiedade entre os estudantes de medicina: um estudo multicêntrico no Brasil [tese]. São Paulo: Universidade de São Paulo; 2017. http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5169/tde-13112017-154429/

Downloads

Publicado

2024-05-07

Como Citar

1.
Barbosa TM, Albino BC, Zanon LZ, Thiesen TT. Acadêmicos de medicina e o impacto do serviço de apoio psicológico. Debates em Psiquiatria [Internet]. 7º de maio de 2024 [citado 24º de junho de 2024];14:1-21. Disponível em: https://revistardp.org.br/revista/article/view/1149

Edição

Seção

Artigos Originais

Plaudit