Sintomas de ansiedade em adultos jovens: a atuação do profissional de psicologia na atenção básica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.25118/2763-9037.2022.v12.314

Palavras-chave:

ansiedade, adulto jovem, atenção básica, psicologia

Resumo

No sistema público de Saúde do Brasil, a atenção básica é a porta de entrada dos usuários. Por conseguinte, a atuação da Psicologia neste espaço tem sido requisitada para o cuidado do adoecimento psíquico, além disso, o fazer psicológico é apoiado por um modelo baseado na clínica ampliada, visando à integralidade do usuário. Destaca-se a importância da Psicologia da Saúde, área que busca compreender como os fatores biológicos, comportamentais e sociais influenciam no processo saúde-doença. Na Atenção Básica, os transtornos de ansiedade têm ocupado os primeiros lugares nas demandas por atendimento em saúde mental, dentre as quais, o adulto jovem se destaca. Para entender essa problemática, este artigo objetiva compreender como se estabelece a atuação do profissional da psicologia junto ao adulto jovem com sintomas ansiosos na Atenção Básica. Nesse estudo utilizou-se a abordagem qualitativa, com características descritiva e exploratória. Para pesquisa de revisão de literatura do tipo análise integrativa, o método de análise dos dados escolhido foi a análise do conteúdo. Como resultado, compreende-se que a ação do psicólogo pode ocorrer no território onde as relações se estabelecem por meio da utilização da clínica ampliada como ferramenta nesta prática e de ações de promoção, prevenção e educação em saúde, com intervenções interdisciplinares em parceria com a comunidade. Mesmo com mudanças ocorridas no NASF, reitera-se a importância do psicólogo ocupar e valorizar sua atuação na atenção básica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Wilma Rodrigues Santos Almeida, Faculdade Irecê, FAI, Irecê, BA, Brasil

Sávio Cru Medeiros, Faculdade Irecê, FAI, Irecê, BA, Brasil

Fabiana Maria Souza, Faculdade Irecê, FAI, Irecê, BA, Brasil

Jakson Luis Galdino Dourado, Faculdade Rebouças de Campina Grande, FRCG, Campina Grande, PB, Brasil

Ademar Rocha Silva, Faculdade Irecê, FAI, Irecê, BA, Brasil

Referências

American Psychiatric Association. DSM-5: manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais. Porto Alegre: Artmed; 2014. http://www.institutopebioetica.com.br/documentos/manual-diagnostico-e-estatistico-de-transtornos-mentais-dsm-5.pdf

Organização Mundial de Saúde (OMS). Depression and other common mental disorders: global health estimates. 2017. http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/254610/1/WHO- MSD-MER-2017

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria nº 648, de 28 de março de 2006. Dispõe sobre a revisão de diretrizes e normas para a organização da Atenção Básica para o Programa da Saúde da Família (PSF) e o Programa de Agentes Comunitários de Saúde (Pacs). Diário Oficial da União. 2006. http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2006/prt0648_28_03_2006_comp.html

Gonçalves JP. Ciclo vital: início, desenvolvimento e fim da vida humana possíveis contribuições para educadores. Revista Contexto & Educação. 2021;31(98):79-110. https://doi.org/10.21527/2179-1309.2016.98.79-110

Miyazaki MCOS, Domingos NAM, Caballo VE. Psicologia da saúde: intervenções em hospitais públicos. In: Rangé B, organizador. Psicoterapias cognitivo-comportamentais: um diálogo com a psiquiatria. Porto Alegre: ArtMed; 2001.

Lidz T. A pessoa e seu desenvolvimento durante o ciclo vital. Artes Médicas: Porto Alegre;1983.

Bee H. O ciclo vital. Porto Alegre: Artes Médicas; 1997.

Bock AMB, Furtado O, Teixeira MLT. Psicologias uma introdução ao estudo de psicologia. São Paulo: Editora Saraiva; 2001.

Papalia DE; Feldman RD, Martorell G. Desenvolvimento humano. 12ª ed. Porto Alegre: AMGH; 2013.

Erikson EH. Identidade: juventude e crise. Rio de Janeiro: Guanabara; 1987.

Vasconcelos AD, Faria JH. Saúde mental no trabalho: contradições e limites. Psicologia & Sociedade. 2008;20(3):453-64. https://doi.org/10.1590/s0102-71822008000300016

Pereira-Lima K, Loureiro SR, Crippa JA. Mental health in medical residents: relationship with personal, work-related, and sociodemographic variables. Revista Brasileira de Psiquiatria. 2016;38(4):318-24. https://doi.org/10.1590/1516-4446-2015-1882 - PMid:27192216 - PMCid:PMC7111348

Costa CO, Branco JC, Vieira IS, Souza LD, Silva RA. Prevalência de ansiedade e fatores associados em adultos. Jornal Brasileiro de Psiquiatria. 2019;68(2):92-100. https://doi.org/10.1590/0047-2085000000232

Dalgalarrondo P. Psicopatologia e semiologia dos transtornos mentais. 3ª ed. Porto Alegre: Artmed; 2019.

Muotri RW, Nunes RP, Bernik MA. Exercício aeróbio como terapia de exposição a estímulos interoceptivos no tratamento do transtorno de pânico. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. 2007;13(5):327-30. https://doi.org/10.1590/s1517-86922007000500009

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Saúde mental, Departamento de Ações. Programáticas Estratégicas. Brasília: Ministério da Saúde; 2013. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/cadernos_atencao_basica_34_saude_mental.pdf

Organização Mundial de Saúde (OMS). Integração da saúde mental nos cuidados de saúde primários: uma perspectiva global. 2009. http://www.who.int/eportuguese/publications/Integracao_saude_mental_cuidados_pri marios.pdf Accessed: 4 out. 2020.

Pedrosa KM, Couto G, Luchesse R. Intervenção cognitivo-comportamental em grupo para ansiedade: avaliação de resultados na atenção primária. Psicologia. Teoria e Prática. 2017;19(3):43-56. https://doi.org/10.5935/1980-6906/psicologia.v19n3p43-56

Motta CC, Moré CL, Nunes CH. O atendimento psicológico ao paciente com diagnóstico de depressão na Atenção Básica. Ciência & Saúde Coletiva. 2017;22(3):911-20. https://doi.org/10.1590/1413-81232017223.27982015 - PMid:28300998

Böing E, Crepaldi MA. O psicólogo na atenção básica: uma incursão pelas políticas públicas de saúde brasileiras. Psicologia: Ciência e Profissão. 2010;30(3):634-49. https://doi.org/10.1590/s1414-98932010000300014

American Psychological Association (APA). 2003. http://www.health-psych.org/ Accessed: 16 fev. 2021.

Campos GW, Figueiredo MD, Pereira Júnior N, Castro CP. A aplicação da metodologia Paideia no apoio institucional, no apoio matricial e na clínica ampliada. Interface - Comunicação, Saúde, Educação. 2014;18(suppl 1):983-95. https://doi.org/10.1590/1807-57622013.0324

Brasil. Ministério da Saúde (MS). Política Nacional de Humanização. Clínica ampliada, equipe de referência e projeto terapêutico singular. 2ª ed. Brasília: 2008. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/clinica_ampliada_equipe_referencia_2ed_2008.pdf

Chiaverini DH, Gonçalves DA, Ballester D, Tófoli F, Chazan LF, Almeida N, Fortes S. Guia prático de matriciamento em saúde mental. Centro de Estudo e Pesquisa em Saúde Coletiva. Brasília: Ministério da Saúde; 2011. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/guia_pratico_matriciamento_saudemental.pdf

Brasil. Nota Técnica Nº 3/2020-DESF/SAPS/MS, de 28 de janeiro de 2020. Dispõe sobre o Núcleo Ampliado de Saúde da Família e Atenção Básica (NASF-AB) e o Programa Previne Brasil. Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção Primária à Saúde Departamento de Saúde da Família. Brasília: Ministério da Saúde; 2020. https://www.conasems.org.br/wp-content/uploads/2020/01/NT-NASF-AB-e-Previne-Brasil-1.pdf

Mota B. O fim do modelo multiprofissional na saúde da família. 2020. http://www.epsjv.fiocruz.br/noticias/reportagem/o-fim-do-modelo-multiprofissional-na-saude-da-familia . Accessed: 19 dez. 2020.

Donker T, Griffiths KM, Cuijpers P, Christensen H. Psychoeducation for depression, anxiety and psychological distress: a meta-analysis. BMC Medicine. 2009;7(1):7-79. https://doi.org/10.1186/1741-7015-7-79 - PMid:20015347 PMCid:PMC2805686

Casañas R, Catalán R, del Val JL, Real J, Valero S, Casas M. Effectiveness of a psycho-educational group program for major depression in primary care: a randomized controlled trial. BMC Psychiatry. 2012;12(1):12-230. https://doi.org/10.1186/1471-244x-12-230 - PMid:23249399 - PMCid:PMC3551665

Minayo MCZ. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 18 ed. Petrópolis: Vozes; 2001.

Crossetti MD. Revisão integrativa de pesquisa na enfermagem o rigor científico que lhe é exigido. Revista Gaúcha de Enfermagem. 2012;33(2):8-9. https://doi.org/10.1590/s1983-14472012000200001 - PMid:23155575

Gil AC. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas; 2002.

Bardin L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70; 2011.

Sundfeld AC. Clínica ampliada na atenção básica e processos de subjetivação: relato de uma experiência. Physis: Revista de Saúde Coletiva. 2010;20(4):1079-97. https://doi.org/10.1590/s0103-73312010000400002

Santos RA, Uchôa-Figueiredo LD, Lima LC. Apoio matricial e ações na atenção primária: experiência de profissionais de ESF e Nasf. Saúde em Debate. 2017;41(114):694-706. https://doi.org/10.1590/0103-1104201711402

Rodrigues ME, Silveira TB, Jansen K, Cruzeiro AL, Ores L, Pinheiro RT, Silva RA, Tomasi E, Souza LD. Risco de suicídio em jovens com transtornos de ansiedade: estudo de base populacional. Psico-USF. 2012;17(1):53-62. https://doi.org/10.1590/s1413-82712012000100007

Souza LP, Barbosa BB, Silva CS, Souza AG, Ferreira TN, Siqueira LD. Prevalência de transtornos mentais comuns em adultos no contexto da atenção primária à saúde. Revista Portuguesa de Enfermagem de Saúde Mental. 2017;(18):59-66. https://doi.org/10.19131/rpesm.0193

Lopes KS, Ceruti BQ, Dalbello-Araujo M. A atuação do psicólogo na promoção da saúde. Psicologia: Teoria e Prática. 2010;12(1):181-196. https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=193814418015

Dimenstein M, Macedo JP. Formação em Psicologia: requisitos para atuação na atenção primária e psicossocial. Psicologia: Ciência e Profissão. 2012;32(spe):232-45. https://doi.org/10.1590/s1414-98932012000500017

Jimenez L. Psicologia na Atenção Básica à Saúde: demanda, território e integralidade. Psicologia & Sociedade. 2011;23(spe):129-39. https://doi.org/10.1590/s0102-71822011000400016

Alexandre MD, Romagnoli RC. Prática do Psicólogo na Atenção Básica - SUS: conexões com a clínica no território. Contextos Clínicos. 2017;10(2). https://doi.org/10.4013/ctc.2017.102.12

Alves RF, Ernesto MV, Silva RP, Souza FM, Lima AG, Eulálio MC. Psicologia da saúde: abrangência e diversidade teórica. Mudanças. Psicologia da Saúde. 2011;19(1-2):1-10. https://doi.org/10.15603/2176-1019/mud.v19n1-2p1-10

Nepomuceno LB, Brandão IR. Psicólogos na Estratégia Saúde da Família: caminhos percorridos e desafios a superar. Psicologia: Ciência e Profissão. 2011;31(4):762-777. https://doi:10.1590/S1414-98932011000400008

ansiedade

Downloads

Publicado

2022-10-25

Como Citar

1.
Almeida WRS, Medeiros SC, Souza FM, Dourado JLG, Silva AR. Sintomas de ansiedade em adultos jovens: a atuação do profissional de psicologia na atenção básica. Debates em Psiquiatria [Internet]. 25º de outubro de 2022 [citado 1º de março de 2024];12:1-22. Disponível em: https://revistardp.org.br/revista/article/view/314

Edição

Seção

Artigos de Revisão

Plaudit