Transtorno factício imposto a outro (síndrome de munchausen por procuração) e maus-tratos infantis

Autores

  • Lisieux E. de Borba Telles Professora, Departamento de Psiquiatria e Medicina Legal, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, RS. Supervisora, Residência em Psiquiatria Forense, Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA), Porto Alegre, RS. Diretora de Ensino e Pesquisa, Instituto Psiquiátrico Forense Dr. Maurício Cardoso, Porto Alegre, RS. https://orcid.org/0000-0003-4105-5924
  • Caroline Galli Moreira Psiquiatra residente de Psiquiatria Forense, HCPA, Porto Alegre, RS.
  • Mariana Ribeiro de Almeida Psiquiatra residente de Psiquiatria Forense, HCPA, Porto Alegre, RS.
  • Kátia Mecler Hospital de Custódia e Tratamento Psiquiátrico Heitor Carrilho e Instituto Médico Legal Afrânio Peixoto, Rio de Janeiro, RJ. Programa de Pós-Graduação em Psiquiatria e Saúde Mental (PROPSAM), Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Rio de Janeiro, RJ.
  • Alexandre Martins Valença Professor Associado
  • Daniel Prates Baldez Acadêmico de Medicina, UFRGS, Porto Alegre, RS.

DOI:

https://doi.org/10.25118/2763-9037.2015.v5.154

Palavras-chave:

Maus-tratos infantis, violência doméstica, síndrome de Munchausen causada por terceiro

Resumo

A violência é globalmente reconhecida como um problema de saúde pública. Em 2002, a Organização Mundial da Saúde (OMS) deu destaque para o abuso e para a negligência por seu caráter crônico e pelos danos psicológicos, sociais e injúria física que geram, sendo as crianças frequentemente vitimizadas. Este artigo apresenta os diferentes tipos de maus-tratos infantis, com enfoque principal na síndrome de Munchausen por procuração, visto apresentar a característica peculiar de envolver três entidades, mesmo que de forma inadvertida: o médico, o cuidador/perpetrador e a criança/vítima.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

da Silva Franzin LC, Olandovsky ML, Vett orazzi ML, Werneck RI, Moysés SJ, Kusma SZ, et al. Child and adolescent abuse and neglect in the city of Curiti ba, Brazil. Child Abuse Negl. 2014;38:1706-14.

Jackson AM, Deye K. Aspects of abuse: consequences of childhood victi mizati on. Curr Probl Pediatr Adolesc Health Care. 2015;45:86-93.

Logan-Greene P, Semanchin Jones A. Chronic neglect and aggression/delinquency: a longitudinal examinati on. Child Abuse Negl. 2015;45:9-20.

Day VP, Telles LE de B, Zoratt o PH, Azambuja MRF, Machado DA, Silveira MB, et al. Domesti c violence and its manifestati ons. Rev Psiquiatr Rio Gd Sul. 2003;25(Suppl 1):9-21.

Christi an CW; Committ ee on Child Abuse and Neglect, American Academy of Pediatrics. The evaluati on of suspected child physical abuse. Pediatrics. 2015;135:e1336-54.

Izaguirre A, Calvete E. Children who are exposed to inti mate partner violence: interviewing mothers to understand its impact on children. Child Abuse Negl. 2015;48:58-67.

Meleiro AMAS, Almeida AM. Transtorno factí cio e suas característi cas. In: Rigonatti SP, Serafi m AP, Barros EL, Caires MAF. Temas em psiquiatria forense e psicologia jurídica. São Paulo: Vetor; 2003. p. 191-205.

Bass C, Glaser D. Early recogniti on and management of fabricated or Induced illness in children. Lancet. 2014;383:1412-21.

Associação Americana de Psiquiatria. Manual Diagnósti co e Estatí sti co de Transtornos Mentais, 5ª edição (DSM-5). Porto Alegre: Artmed; 2014.

Organização Mundial da Saúde (OMS). Classifi cação de Transtornos Mentais e de Comportamento da CID-10: descrição clínicas e diretrizes diagnósti cas. Porto Alegre: Artmed; 1993.

Flaherty EG, MacMillan HL; Committ ee on Child Abuse and Neglect. Caregiver-fabricated illness in a child: a manifestati on of child maltreatment. Pediatrics. 2013;132:590-7.

Squires JE, Squires RH Jr. Munchausen syndrome by proxy: ongoing clinical challenges. J Pediatr Gastroenterol Nutr. 2010;51:248-53.

Bass C, Jones D. Psychopathology of perpetrators of fabricated or induced illness in children: case series. Br J Psychiatry. 2011;199:113-8.

Mcculloch V, Feldman MD. Munchausen by proxy by internet. Child Abuse Negl. 2011;35:965-6.

Pulman A, Taylor J. Munchausen by internet: current research and future directi ons. J Med Internet Res. 2012;14:e115.

Brown AN, Gonzalez GR, Wiester RT, Kelley MC, Feldman KW. Care taker blogs in caregiver fabricated illness in a child: a window on the caretaker’s thinking? Child Abuse Negl. 2014;38:488-97.

Downloads

Publicado

2015-12-30

Como Citar

1.
Telles LE de B, Moreira CG, Almeida MR de, Mecler K, Valença AM, Baldez DP. Transtorno factício imposto a outro (síndrome de munchausen por procuração) e maus-tratos infantis. Debates em Psiquiatria [Internet]. 30º de dezembro de 2015 [citado 27º de setembro de 2022];5(6):38-42. Disponível em: https://revistardp.org.br/revista/article/view/154

Edição

Seção

Artigos de Atualização

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>